Série do canal Panda Biggs considerada imprópria para crianças

shin_chan_vectorial_by_markef-d95i293
A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) considerou a série Shin Chan, que é exibida no canal Panda Biggs, pouco adequada para crianças mais novas e determinou que só poderá ser transmitida depois das 22h30.

A deliberação surgiu depois de o regulador ter recebido, entre 6 de dezembro de 2016 a 24 de janeiro deste ano, 105 queixas de vários organismos e espectadores, contra um episódio destes desenhos animados japoneses.

O Instituto de Apoio à Criança, a Ordem dos Enfermeiros, o Projeto Criar e a Secretaria-Geral do Ministério da Saúde foram algumas das entidades que manifestaram preocupação com o capítulo em questão, afirmando que o mesmo poderia evocar atos de pornografia ou até pedofilia.

Duas personagens vestidas como enfermeiras, no âmbito de uma unidade de saúde, realizam um exame ao ânus da criança de cinco anos, que passa por penetração com os dedos e sugestão de penetração com objetos, acompanhado de comentários sobre a alegada perfeição do ânus e imagens e sons de sofrimento da mesma criança”, destacou a Ordem dos Enfermeiros.

O Panda Biggs acabou por se defender e afirmou que, naquele episódio, “o pai de Shin Chan é submetido a uma operação às hemorroidas e está muito queixoso, enquanto que o filho está sempre a fazer traquinices e a gozar com ele. O Shin Chan andava pela clínica a mostrar o rabinho a toda a gente, por isso a médica aproveitou o momento para analisar o rabo do rapaz”.

“O propósito da cena é submeter o Shin Chan ao mesmo tipo de análise que é realizada na clínica, a qual, não sendo agradável, serve de lição por causa das suas traquinices”, acrescentou fonte do canal temático infantil.

Em resposta às queixas, a ERC emitiu um despacho no qual clarificava que a série Shin-chan não contem qualquer ato de pornografia ou pedofilia, mas determinou que a série só pode ser transmitida em Portugal a partir das 22:30.

“Não se poderá considerar que a cena em causa consista em abuso sexual ou pedofilia. No entanto, após a visualização da cena num contexto descontraído e humorístico de desenho animado, as crianças podem ser levadas a não encontrar diferenças relativamente a outros atos que, sendo aparentemente semelhantes, revestem-se das maiores diferenças, consistindo no abuso sexual de um menor”, destacou o regulador.

Os desenhos animados que estão a gerar polémica falam sobre o quotidiano de um rapaz japonês, Shinnosuke Nohara, que tem “um comportamento totalmente anormal” e é considerado um “mau exemplo” para crianças.

A série é considerada uma das mais longas do mundo, com mais de 2000 episódios traduzidos em mais de 30 línguas, e é constantemente uma das séries de anime com maior audiência no Japão.

Fonte: https://zap.aeiou.pt/serie-do-canal-panda-biggs-considerada-impropria-criancas-novas-159528

Equipas de saúde nas Urgências vão marcar consultas nos centros de saúde

Urgencias consultas nos centros de saude

Na triagem da Urgência, quem for classificado com azul ou verde, sem gravidade, não será atendido no hospital por não necessitar de cuidados tão especializados. A equipa da Urgência acederá à lista de consultas da unidade de cuidados primários do utente, seja um centro de saúde clássico ou uma Unidade de Saúde Familiar (USF), e marcará uma “consulta do dia” para que seja observado. Não será assim quando não houver vagas ou se for necessário um ato hospitalar, por exemplo.

Quatro alicerces — organização dos percursos, problemas de saúde com evolução prolongada, gestão da doença aguda e literacia (ver imagem) — sustentam a reforma, que tem como instrumento essencial o Plano Individual de Cuidados. A ferramenta digital vai servir para os médicos de família registarem todas as queixas do doente e o que precisará fazer para melhorar. E as queixas incluem a doença mas especialmente as disfunções que destabilizam o quotidiano, como falta de visão, dores nas costas ou dificuldades em dormir

Alicerces SNS.png

Para saber mais clique aqui – link 

11 de Maio- Tertúlia Enfermagem – Uma passado de conquistas de uma profissão do futuro

bastonaria1

A Direção Regional do Porto do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), irá realizar uma tertúlia sob o tema “Um passado de conquistas de uma profissão do futuro”.Irá decorrer no Auditório das suas instalações, situado na R. Padre António Vieira 195, no dia 11 de maio, a partir das 14h30.

Esta iniciativa contará, entre outras, com a presença Senhora Enfª. Augusta de Sousa, ex-Coordenadora do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses e ex-Bastonária da Ordem dos Enfermeiros (2004-2011).

O conhecimento da génese da profissão, das principais datas para a Enfermagem em Portugal, da consolidação da profissão e da sua progressiva autonomia, é do maior interesse para os Enfermeira/os e determinante para enfrentar os desafios futuros da profissão.

A Tertúlia contará no final com um beberete para convívio.

Telefone: 225198607 ou E-mail: sep.porto@gmail.com

Fonte : SEP

Horas Extra pagas a médicos com efeitos retroativos ! (Só ??)

Se esta medida apenas for aplicada apenas aos médicos, revela-se uma medida  “inadmissível e intolerável” pois não será expectável que  o Ministério da Saúde “discrimine negativamente” todos os restantes profissionais de saúde que realizam trabalho extraordinário em todos os restantes serviços” e também todos os profissionais que trabalham por turnos, mantendo o corte em 50% do valor das horas penosas ou de qualidade.

 

Horas extra medicos.png

Dia Internacional do Enfermeiro 2017

dia-internacional-do-enfermeiro

A Ordem dos Enfermeiros na semana em que se festeja a Páscoa divulgou a versão portuguesa do Kit do Dia Internacional do Enfermeiro 2017. O livro é uma iniciativa do International Council of Nurses (ICN), traduzida para Português pela Ordem dos Enfermeiros (OE). 

Enfermeiros: Uma voz de Liderança – Alcançar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável” é o tema do kit deste ano, numa tentativa de reconhecer o que os enfermeiros no terreno já fazem na prossecução dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS).

De acordo com o ICN, é preciso sensibilizar a sociedade em geral, mas também consciencializar os próprios enfermeiros para o valor do que estão a fazer neste âmbito. Por isso, o livro identifica os vários ODS e dá corpo os exemplos de profissionais que estão a contribuir para a melhoria da saúde de populações em todos o mundo, deixando a sua “pegada” no caminho para um mundo mais saudável.

Clique aqui epara aceder ao KIT

Fonte : OE

APÓS 40 ANOS -APRESENTADOS OS RESULTADOS DO 2º INQUÉRITO ALIMENTAR NACIONAL E DE ATIVIDADE FÍSICA

ian-af-resultados

Depois de quase 40 anos de espera são apresentados os resultados do 2º inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física. Este inquérito permite a criação de uma base descritiva com informação de representatividade nacional sobre três grandes domínios: a Alimentação e Nutrição, a Atividade Física e o Estado Nutricional da população Portuguesa.

A implementação deste inquérito decorreu entre outubro de 2015 e setembro de 2016, tendo-se avaliado um número total de 6553 indivíduos.

COMO PRINCIPAIS RESULTADOS DESTACAMOS:

– 1 em cada 2 Portugueses não consome a quantidade de fruta e hortícolas recomendada pela OMS;

Aproximadamente 1,5 milhões de Portugueses (17% da população) consomem pelo menos um refrigerante ou néctares por dia, dos quais 12% são refrigerantes;

Cerca de 9,8 milhões de portugueses (mais de 95% da população) consome açúcares simples acima do limite recomendado pela OMS (10% do aporte energético);

Em média, os Portugueses consomem 7,3 g de sal por dia. Aproximadamente, 3,5 milhões de mulheres (65,5%) e 4,3 milhões de homens (85,9%) apresentam uma ingestão de sódio acima do nível máximo tolerado,

Em 2015-2016, 10% das famílias em Portugal experimentaram insegurança alimentar, ou seja, tiveram dificuldade, durante este período, de fornecer alimentos suficientes a toda a família, devido à falta de recursos financeiros; a maioria destas famílias tem menores de 18 anos;

A prevalência nacional de prática ‘regular’ de atividade física desportiva e/ ou de lazer programada é de 41,8%, sendo mais elevada nas crianças (61%) e menor nos idosos (33%).

5,9 milhões de Portugueses (quase 6 em cada 10 Portugueses) têm obesidade ou pré-obesidade. Os idosos são o grupo mais vulnerável – 8 em cada 10 têm obesidade ou pré-obesidade;

As prevalências de obesidade, de pré-obesidade e de obesidade abdominal são sempre superiores nos indivíduos menos escolarizados.

Um verdadeiro marco sobre o panorama alimentar a nível nacional, indispensável para a melhoria das estratégias já definidas pelo PNPAS e que contou com o apoio da DGS desde a primeira hora.

Conheça a apresentação sumária dos resultados do IAN-AF aqui.